Notícias

[Pós-Lolla] Erros e Acertos do Lollapalooza 2014

Confira nossa cagação de regra sobre o Lollapalooza!

Olá, amiguinhos, como foram de Lollapalooza? Nós da redação nos dividimos em dois grupos: um que teve do bom e do melhor no Lolla Lounge e outro que passou perrengue como meros mortais (infelizmente, fiz parte desse segundo grupo).

Nosso primeiro relato chega de quem teve esse tratamento nada ~TOP~ e teve que passar por ALTAS AVENTURAS para assistir os shows que gostaria e passar um dia agradável no festival. Tentarei ser breve no meu diagnóstico do que deu ou não certo nos dois dias do Lolla:

ERROU FEIO, ERROU RUDE!!

Distância entre palcos

Somos jovens e aguentamos andar, mas pera lá também, né! Tudo dentro do autódromo era longe PRA CARALHO e a falta de rotas alternativas impossibilitava chegar aos palcos com a mínima agilidade.

Outro problema foram os gargalos criados quando se estreitava a passagem entre os locais. Sério mesmo que a produção não previu essas merdas? Às vezes se perdia mais de meia hora entre um palco e outro em um caminho que demoraria cinco minutos se tivesse mais espaço para transitar.

Até perdemos alguns shows simplesmente porque eram muito longe e chegar lá seria impossível. Aproveitamos esse tempo pra tentar comer (no sábado foi quase impossível) ou descansar em algum lugar.

A impressão que ficou é que o espaço, muito maior, foi mal aproveitado. Em vez de utilizarem o autódromo como um grande espaço aberto, foram criados espaços menores, mal conectados. Se era possível fazer de outro jeito, nós não sabemos, mas a maneira como o espaço foi organizado, mesmo que tenha sido a melhor possível, foi ruim.

Retirada dos ingressos

Olha, eu não tive problema com isso e quando, fui acompanhar uns amigos na bilheteria no domingo, foi tudo muito tranquilo. PORÉM, muita gente reclamou que sábado foi um inferno. Deu erro no sistema, os funcionários não sabiam resolver. Enfim, foi um rebosteio geral.

MANDOU BEM, LOLLA!

Line Up/ Horários

Cara, você tá num festival. É impossível ver tudo. Aceite essa ideia.

Por mais que houvesse alguns conflitos (Lorde e Phoenix, Vampire Weekend e Savages, Muse e Disclosure, Arcade Fire e New Order), a produção parece ter escolhido esses embates pensando no público de cada um e no trânsito entre os palcos (que, como já vimos, foi prejudicado pela distância (POR QUE TÃO LONGE????) e pelos gargalos).

E, bem, eles já tinham avisado que muita coisa ia bater. Então pare de reclamar disso.

 

Chef Stage/Alimentação

Nenhuma lista de melhores coisas do festival que se preze pode deixar o Chef Stage de fora. Várias opções de comida boa, a preços razoavelmente decentes, reunidas em um espaço que até poderia ser maior, mas que não chegou a ficar entulhado de gente (pelo menos enquanto estive lá). As opções de alimentação fora do Chef Stage – incluindo pizza e pastel – também agradaram e não deixaram ninguém com saudade dos rangos de edições passadas.

Palcos em frente aos declives

Reclamamos do posicionamento da estruturas, mas também elogiamos o que foi feito direito. Os declives à frente dos palcos foram muitíssimo bem aproveitados: além do esquibunda, que não só vimos como também praticamos, eles proporcionaram ótima visualização dos shows, inclusive para quem decidia assistir um pouco mais de longe, mas sentado. Gostamos!

 

MAIS OU MENOS, MAIS OU MENOSSSS

Acesso ao Festival

Se esse ano o Lolla era cinco vezes maior, parecia ser pelo menos umas 50 vezes mais longe. Durante o dia chegar não foi problema, seja de carro ou transporte público, mas sair de lá (pelo menos no sábado) foi um inferno. Muita gente não conseguiu pegar o último trem e teve de amargar pagar um táxi para voltar à civilização (isso pra quem conseguia achar um taxi lá).

A falta de traslados entre estação e autódromo prejudicou um pouco a experiência como um todo também. Os SEIS minutos a pé prometidos pela organização se tornaram pelo menos uns 15 (de uma subida muito da filha da mãe). A CET não serviu nem pra fechar o acesso de carros e motos na rua principal que chegava ao Autódromo, o que gerou tumulto – eram só 60, 70 mil pessoas na rua, né. Pelo menos estava tudo muito bem sinalizado e tal.

Som

O som em festivais é sempre um problema e provavelmente sempre será. Se por um lado não houve vazamentos, em alguns shows o som estava baixo demais – ainda mais pra quem queria ver um pouco mais de longe. Ainda assim, deu pra curtir bem e aproveitar esses shows.

Anúncios

2 comentários

  1. Um erro MUITO feio também foi a falta de lixeiras. A partir da metade do dia, estava horrível andar e ter que pisar nos copos, sem contar quando vc estava assistindo um show e copos iam parar no seu pé.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s